Brincadeiras, esporte e musicalização divertem as férias da criançada durante as férias na pandemia

Publicidade

Jogos de tabuleiros, esporte, musicalização e atividades manuais divertem as férias da criançada durante a pandemia

Tribuna do Paraná
Escrito por Tribuna do Paraná

Criatividade, participação da família, brincadeiras do passado e alguns cuidados garantem a alegria dos pequenos e pequenas durante o isolamento social

Por Angelo Binder

Antes da pandemia, as férias eram o período em que as crianças ficavam mais em casa, descobrindo um universo pouco explorado durante o ano letivo, dentro do lar ou brincando com os amigos e amigas da vizinhança. Com a covid-19 veio o isolamento social e tudo mudou. Aulas online ou pela tv, e a casa virou o endereço da escola.

Chegaram as férias, mas com menos viagens por conta da pandemia, a nossa casa, que antes era ponto de fuga da rotina escolar, já está mais decorada do que as tabuadas, regras gramaticais e capitais de estados do Brasil. Tudo ficou um pouco sem graça. Agora, no entanto, é preciso que pais, responsáveis e as próprias crianças sejam criativos para encontrem diversão com segurança.

Um bom ponto de partida são atividades recreativas, inclusive brincadeiras antigas como jogos de tabuleiro, amarelinha e até mesmo uma sessão de cinema em casa. Tudo isso pode ajudar crianças e adolescentes a diminuir o nível de estresse e a ansiedade causados pela intensa rotina de estudos à distância. 

A psicóloga Luciana Deutscher explica que a alta demanda de atividades, somada ao novo formato de aulas, exigiu um controle emocional maior por parte das crianças e jovens ao longo dos últimos meses – o que pode desencadear um aumento do estresse. 

“O melhor caminho a meu ver para poder ter férias mesmo estando em casa, se mantendo no mesmo ambiente, é juntamente propor junto às crianças uma mudança de rotina nesse período, dentro das possibilidades de cada família. É importante incluir atividades que elas possam realizar de maneira autônoma, como um cantinho da leitura, dia do cinema em casa, jogos… Atividades em família devem ser incluídas nas folgas do home-office, como saídas e passeios ao ar livre, em lugares abertos, sem aglomerações e tomando todas as medidas sanitárias necessárias. Nessas saídas aproveitar para educar e conscientizar as crianças desses novos hábitos e ao mesmo tempo proporcionar uma higiene mental para toda a família no convívio ao ar livre, no contato com a natureza”, avalia.

Segundo a psicóloga, o apoio e a interação da família se tornam ainda mais necessários neste período. “Propor atividades em conjunto, como levar os pequenos para a cozinha e assar um bolo, montar a piscina e aproveitar o calor do verão ou até mesmo confeccionar um jogo com os materiais recicláveis são formas de aproveitar as férias em casa e diminuir o estresse”, propõe. 

Cartilha de atividades

O Instituto Futebol de Rua, da região de Curitiba, atende jovens e crianças em situação de vulnerabilidade social e preparou uma cartilha com diversas atividades para serem realizadas em casa durante o isolamento social, aliando habilidades educativas à descontração. Futebol de pedrinhas, amarelinha maluca e pebolim na caixa estão entre as opções de jogos e brinquedos que podem ser confeccionados com materiais recicláveis e na companhia dos familiares. 

Foto: Freepik

“Temos orientado as famílias a tomarem medidas simples, mas muito eficazes nesse momento, como jamais esquecer de brincar e se divertir. São essas atitudes que contribuem significativamente no processo de aprendizado e na garantia da saúde emocional das crianças e adolescentes”, explica o coordenador pedagógico do Instituto Futebol de Rua, Eber Dartora.  

>>> Clique aqui e veja a cartilha completa <<<

Atividades cognitivas e motoras 

As fisioterapeutas Dielise Debona Iucksch e Luize Bueno de Araújo, coordenadoras do curso de Fisioterapia Neurofuncional da Faculdade Inspirar, elaboram, juntas, dicas para que as crianças realizem atividades que exercitem a parte cognitiva e motora. “Incluir exercícios que estimulem o treinamento das cores, letras ou números é essencial para o bom funcionamento da motricidade infantil. O mais importante é não oferecer atividades no celular ou tablet e tentar diminuir o tempo que os pequenos ficam expostos à televisão e videogame”, afirma Dielise.

-> Leia as dicas das fisioterapeutas ao final da reportagem.

Esporte é saúde

Foto: Pexels

Por conta da pandemia, muitas crianças deixaram de praticar atividades físicas. A falta de exercícios pode atrapalhar o desenvolvimento dos pequenos, como explica o educador físico Marco Aurélio Piazza, coordenador da assessoria esportiva Equipiazza, que desenvolveu um treinamento online kids para as crianças durante a pandemia. “As crianças estando ativas, participando de atividades recreativas, estarão fortalecendo o sistema imunológico. É importante que a criança, na medida do possível, possa saltar, correr e pular, pois são atividades bastante simples, mas que fazem parte do processo de desenvolvimento.

De acordo com Piazza, uma criança entre 6 a 11 anos precisa de 60 minutos em média por dia de atividade física intensa e moderada. “Além de melhorar a condição física e prevenir a obesidade, é muito importante para o desenvolvimento da criatividade das crianças”, lembra. 

A atividade física nesse período está sendo muito importante, pois ajuda a descarregar as tensões que as crianças sofrem, além de trazer um estilo de vida saudável, fortalecendo o sistema imunológico e combatendo várias doenças (como citado anteriormente) e inserindo ela em uma nova rotina.

“Às vezes pensamos que precisamos de grandes espaços para realizar as atividades, mais o chão da sala pode se transformar em um grande parque de diversão para os baixinhos e baixinhas. Nesses ambientes podemos fazer atividade de obstáculos, imitações de bichos, desafios de gestos e ir até   aonde sua imaginação alcançar, mas sempre respeitando a limitação de cada um”, lembra o educador físico, João Paulo Piazza, também da Equipiazza.

Musicalização com MPB

Foto: Pexels

Passar o tempo ouvindo música com as crianças, especialmente com as pequenas, pode ser uma ótima opção para os dias chuvosos das férias. “É simples porque é uma atividade de apreciação musical com um conteúdo referente às alturas das notas musicais. É também um convite para escutar repertório clássicos da MPB”, explica o professor de música Renan Holanda. 

Renan explica que uma atividade interessante é ouvir em família “Os Saltimbancos”, de obra Luiz Enriquez, Sérgio Bardotti e Chico Buarque e outros clássicos infantis da MPB. “Minha canção” faz parte de “Os Saltimbancos”, de 1977. 

A criança  aprende o nome e a altura correspondente a cada nota musical da escala de Dó maior, pois cada palavra no início de cada verso começa com o nome de uma nota musical (Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si e Dó):

DOrme a cidade
REsta um coração
MIsterioso
FAz uma ilusão
SOLetra um verso
LAvra a melodia
SIngelamente
DOlorosamente

DOce a música
SIlenciosa
LArga o meu peito
SOLta-se no espaço
FAz-se certeza
MInha canção
stia de luz onde
rme o meu irmão

Segurança dentro de casa

Além de evitar a exposição contínua ao celular ou tablet, pais e responsáveis precisam estar atentos quanto à segurança das crianças dentro de casa, principalmente quanto a aparelhos e equipamentos elétricos.

É sempre importante proteger as tomadas que estiverem fora de uso como medida de prevenção de acidentes, bem como carregadores de celular, que devem ser sempre retirados da energia quando o aparelho não estiver mais conectado. “Desde cedo pode-se ensinar aos pequenos que é preciso desligar o chuveiro para trocar a temperatura. Ou que não se deve mexer nos fios de equipamentos eletrônicos que estiverem ligados à tomada”, exemplifica gerente de Segurança do Trabalho da Copel, Alessandro Maffei da Rosa.

Ele ainda ressalta que as crianças aprendem pelo exemplo, e por isso os pais também devem ser os primeiros a adotar comportamentos seguros.

As brincadeiras ao ar livre exigem cuidados com relação à energia elétrica. É importante a orientação para compreender que soltar pipas perto da rede elétrica pode trazer prejuízos para a comunidade, e ainda causar graves acidentes.  “Temos conversado bastante com as crianças e as famílias, enfatizando que as pipas devem ficar longe da rede elétrica. E se o brinquedo enroscar nos fios, não se deve tentar retirá-lo”, alerta Rosa.

Veja algumas dicas que podem colaborar durante a quarentena com os pequenos:

  • É preciso criar atividades que estejam dentro da linha de aprendizado escolar;
  • Elabore exercícios que envolvam o treinamento de descoberta de cores, números, vogais;
  • Para crianças maiores, é interessante inserir atividades com questões de matemática, história, língua portuguesa e demais disciplinas estudadas na escola;
  • Organizar o tempo das crianças em casa – é importante para manter o aprendizado;
  • Destinar um tempo para leitura também é fundamental;
  • Atividades como: desenhar, pintar, circular e trabalhar formas geométricas são exemplos de como entreter as crianças;
  • Deixar seu filho criar uma brincadeira entre as atividades de ensino contribui para o aprendizado;

Além disso, é importante deixar um tempo livre para a criança brincar com o que ela quiser, pois é de extrema relevância para o desenvolvimento psicomotor. Ela precisa de um tempo para ter uma atividade livre, onde possa criar e desenvolver a brincadeira.

  • Fonte: Dielise Debona Iucksch e Luize Bueno de Araújo,coordenadoras do curso de Fisioterapia Neurofuncional da Faculdade Inspirar